Dra. Ana Geist

Tratamentos

  • Cirurgia Geral e Videocirurgia

Realização cirurgias eletivas e de emergência para tratar todo o espectro de condições que afetam o esôfago, o estômago, a vesícula biliar, o baço e os intestinos. A cirurgia minimamente invasiva é o padrão de atendimento tanto para procedimentos hospitalares quanto ambulatoriais. Agende uma consulta com a Dra. Ana Geist Cirurgia Geral e Videolaparoscopia.

Pequenas Cirurgias

Pequenas cirurgias: cirurgias de pequeno porte como retirada de sinais ou pintas, cistos, pequenos tumores benignos como lipomas e também cantoplastias ungueais (retirada de unha encravada). Geralmente podem ser realizadas apenas com anestesia local. Casos maiores podem necessitar de sedação e anestesia local.

Colecistectomia

A colecistectomia é um procedimento cirúrgico para remover a vesícula biliar. A principal indicação para colecistectomia é a presença de cálculos (pedras) na vesícula, mas também pode ocorrer devido a presença de pólipos, barro biliar ou alterações com suspeita de malignidade.

A cirurgia é feita por videolaparoscopia, que permite uma recuperação pós operatória mais rápida: menos dor,alta precoce e rápido retorno para suas atividades. Outra vantagem é o efeito estético proporcionado pelas mini incisões.

O risco cirúrgico deste procedimento é baixo e a alta hospitalar geralmente é possível no mesmo dia. A retirada da vesícula é a maneira mais eficaz para resolver problemas nesse órgão.

  • VEJA TAMBÉM:
Cirurgia de Hérnia
A hérnia é uma fraqueza que geralmente ocorre na parede do abdômen, permitindo que um órgão, uma parte de um órgão ou gordura se projete. A hérnia está entre os distúrbios médicos mais comuns. As hérnias podem ocorrer em qualquer idade e podem ser congênitas (presentes ao nascimento) ou adquiridas. Um local comum para a hérnia é na virilha, e os homens tendem a desenvolver hérnias na virilha (ou inguinais) mais frequentemente do que as mulheres

Herniorrafia umbilical é a cirurgia realizada para correção das hérnias umbilicais. Hernias são abaulamentos devido a saída anormal de parte detecido ou de um órgão através de uma rotura ou fraqueza na parede abdominal- no caso da hérnia umbilical, essa fraqueza ocorre no umbigo.
Principais sintomas são abaulamento local e dor, principalmente após esforço físico, com piora ao longo do dia e melhora ao deitar. Nesse procedimento uma pequena incisão é feita logo acima ou abaixo do umbigo e através dela esse defeito é fechado, podendo ser necessário o uso detelas ou não.

A herniorrafia umbilical costuma ser um procedimento rápido e com boa recuperação, permitindo alta precoce. No pós operatório é fundamental cuidado para não realizar esforço físico em excesso.

Herniorrafia incisional é o procedimento realizada para correção de hérnias em locais operados previamente. Nessa cirurgia é extremamente importante o uso de telas para reforçar a parede abdominal e diminuir a chance de retorno dessa patologia.

Pode ser desde uma pequena cirurgia, com alta no mesmo dia e rápida recuperação, até uma grande cirurgia, com internação, dependendo fundamentalmente da avaliação de cada caso.

Hernias inguinais são abaulamentos devido a saída anormal de parte do tecido ou de um órgão através de uma rotura ou fraqueza na região inguinal. Principais sintomas são abaulamento na região e dor, principalmente após esforço físico, com piora ao longo do dia e melhora ao deitar. A cirurgia para correção dessa patologia pode ser feita de maneira convencional- por corte- ou através da videolaparoscopia.

Convencional: uma pequena incisão é feita na região inguinal e através dessa região a correção da hérnia é realizada: fechamento do defeito e colocação de uma tela. A alta geralmente é possível no mesmo dia e a recuperação é rápida, apenas sendo necessário permanecer período maior sem fazer força.

Videolaparoscopia: através dessa técnica, a correção da hérnia é feita através de pequenas incisões na parede abdominal. A hérnia é corrigida internamente. A alta também ocorre no mesmo dia porém o pós operatório costuma evoluir com menos dor e o retorno as atividades regulares ocorre de maneira mais precoce do que na técnica convencional.

  • VEJA TAMBÉM:
reparação de hérnia inguinal e ventral complexa
Ooforectomia

Ooforectomia ou ooforoplastia é o procedimento realizado para tratamento de lesões císticas ou sólidas de ovário. Na ampla maioria das vezes é possível fazer através da videolaparoscopia ou minilaparoscopia, quando as incisões são menores ainda. A alta geralmente ocorre no mesmo dia e o retorno as atividades é precoce.

Histerectomia

Histerectomia é a cirurgia realizada para a retirada do útero, podendo ou não ser acompanhada pela retirada das trompas e ovários. As principais indicações são: miomas uterinos, sangramento vaginal refratário a tratamento clínico, adenomiose (endometriose do útero) ou suspeita de lesão maligna, entre outras. A avaliação cautelosa de cada caso é fundamental, sendo orientado acompanhamento concomitante com ginecologista da paciente.

Quanto a técnica cirúrgica, pode ser por via convencional (corte) ou videolaparoscopia sendo que a indicação da técnica deve ser definida baseada em alguns critérios como motivo da histerectomia, tamanho uterino, condição clínica da paciente.

A internação hospitalar é necessária, geralmente de um a dois dias. Em comparação com a cirurgia convencional, a videolaparoscopia costuma gerar menos dor no pós-operatório, permitindo uma recuperação mais precoce e, uma vez que as incisões são menores, a necessidade de repouso é menor.

Cirurgia Ginecológica

As cirurgias ginecológicas são realizadas em mulheres com diagnóstico de doenças no sistema reprodutor. Avaliação e tratamento de endometriose, cirurgia para avaliação de infertilidade entre outras. Na maioria das vezes pode ser feito por videolaparoscopia.

Apendicectomia

A cirurgia é realizada para retirada do apêndice cecal, geralmente devido a inflamação do mesmo. Geralmente é um quadro agudo e precisa ser realizado com urgência pois se o apêndice cecal inflamado não for retirado rapidamente, pode romper dentro da cavidade gerando uma infecção abdominal grave. A opção da técnica cirúrgica depende da avaliação de cada caso mas na grande maioria das vezes é possível ser feita através da videolaparoscopia.

Quando o quadro de apendicite aguda for inicial a alta ocorre no primeiro dia pós operatório na maioria das vezes. Nos casos de apendicite complicada pode ocorrer necessidade de internação prolongada. Nos casos mais graves algumas vezes pode ser inclusive necessário punções de abscessos por tomografia e até mesmo novas reoperações. O diagnóstico e tratamento precoce desses casos é o principal diferencial no sucesso e prognostico dessa patologia.
Fundoplicatura

A fundoplicatura é um procedimento cirúrgico que pode ser indicado para pacientes com sintomas de doença do refluxo gastroesofágico com insucesso no tratamento clínico, portadores de hérnia de hiato ou não. Esse procedimento é realizado por videolaparoscopia e geralmente necessita de 1 dia de internação hospitalar. No pós operatório, uma dieta especial é prescrita para o paciente.